Relojoaria suíça: exportações continuam em recuperação

Imagem da notícia: Relojoaria suíça: exportações continuam em recuperação

As exportações de relógios suíços atingiram, em maio, 1,8 mil milhões de francos (+174,2% em relação a maio de 2020), o mesmo que em abril. Em comparação com a linha de base de 2019, isto representou um declínio de 11,9%, principalmente devido a um efeito base. Estes são os resultados apresentados pela Federação da Indústria Relojoeira Suíça FH (Fédération de l’industrie horlogère suisse FH), que atualiza, todos os meses as estatísticas de exportação de relógios suíços.

A queda verificada há um ano (-67,9%) não foi, portanto, totalmente compensada, mas o setor pode, no entanto, prever um regresso ao normal mais cedo do que o esperado no início do ano. O resultado cumulativo para os primeiros cinco meses do ano foi ligeiramente inferior (-3,0%) em comparação com janeiro a maio de 2019.

Os relógios feitos de metais preciosos serraram o declínio menos acentuado (-5,7%) em comparação com maio 2019. Os relógios de aço e bimetálicos continuaram na média.

Os relógios avaliados em mais de 3.000 francos (preço de exportação) corresponderam aos volumes de 2019, com um ligeiro declínio no valor. Os preços inferiores a 500 francos caíram quase 40%, tanto pelo número de artigos como pelo seu valor. O valor das exportações de relógios com preços entre 500 e 3.000 francos diminuiu 15,2%.

Tal como em abril, a China (+17,4% em comparação com maio de 2019) e os Estados Unidos (+16,6%) registaram um crescimento constante. O Reino Unido – o sexto maior mercado para as exportações de relógios suíços – também registou uma melhoria acentuada no seu resultado (+8,3%). A maioria dos outros mercados principais registou declínios significativos, refletindo dificuldades devido à situação local provocada pela pandemia, com medidas de saúde apertadas e restrições de viagem.

Saiba mais aqui.

5 Julho 2021
AtualidadeRelojoaria

Notícias relacionadas